10mar16 Brasil Brasil Gramado Gramado Hotéis Viagens

Hotel Ritta Höppner – Gramado

♥ GUEST POST ♥

No início desse ano, ao receber uma foto linda do hotel Ritta Höppner durante uma viagem dos meus pais a Gramado (lugar que amo e vou sempre que posso), me veio a ideia de convidar o meu pai para fazer um guest post aqui no blog!

Pensei na hora: “Ninguém melhor do que uma pessoa que já foi tantas vezes a esse hotel para falar dele com propriedade, certo?”. E ele topou! 😀

Então, passo a palavra agora para Carlos Frederico March! É com você!


A CIDADE DE GRAMADO

DSC05013b Lago Negro 2012

Lago Negro.

Em janeiro deste ano, fomos pela 18ª vez a Gramado-RS. Morássemos em Porto Alegre, nem seria nada demais, é hábito do gaúcho subir a serra em feriados e até em meros fins de semana. Contudo moramos em Niterói-RJ e então podemos dizer que é um feito no mínimo curioso, com tantas escolhas – considerando apenas turismo doméstico.

Com certeza pode deduzir que não é apenas pelas atrações, digamos, convencionais da cidade de Gramado e redondezas, pois que a essa altura já conhecemos quase tudo de cor e salteado. O que poderíamos conhecer a mais não é por falta de oportunidade.

Afinal, então, por que essa fixação?

A razão maior é receber o que chamamos de banho periódico de civilidade. Estar em Gramado é poder vir a pé de um restaurante à meia-noite, ouvindo apenas nossos passos em ruas desertas e saber que não seremos assaltados. É poder portar uma câmera fotográfica de tamanho razoável a tiracolo pelo centro da cidade e saber que não vão arrancá-la à força de nosso pescoço.

Lago Negro Rua Coberta Alemanha Encantada

Alemanha Encantada – Rua Coberta – Lago Negro.

É poder entrar em loja atrás de loja e mesmo sem nada comprar receber na saída um sorriso e uma saudação de “bom passeio”. Ou uma indicação de um estabelecimento concorrente onde poderemos encontrar o que precisamos. É passear ao sol mesmo no verão e não morrer de calor, podendo até rolar um casaquinho à noite.

Enfim, em Gramado a gente parece que está fora do Brasil. É uma afirmativa bem triste, reconheço. Sei que deve haver outras cidades onde também seremos igualmente bem tratados nesse imenso país, mas no nosso caso calhou de nos apaixonarmos pela serra gaúcha e é para lá que vamos, ultimamente numa base quase que anual.

20160116_133106b Igreja S. Pedro e tapete, de dia

Igreja S. Pedro no Natal Luz.

Quando ir a Gramado?

Em qualquer época do ano, exceção de algumas semanas depois do carnaval, quando várias lojas resolvem fechar para dar férias aos funcionários. O comércio da cidade, uma de suas atrações – para pessoas consumistas como nós – fica “capenga”.

No verão, temperatura amena, um tesouro para quem vem de lugares tórridos como o Rio de Janeiro. No outono, temos a beleza européia de folhas caindo, amareladas ou vermelhas, uma paisagem urbana belíssima. No inverno, temos o Festival de Cinema (2ª semana de agosto), ponto de encontro de artistas e gente bonita. E o principal evento do ano é o Natal Luz, hoje em dia do fim de outubro (com a cidade e arredores coalhados de hortênsias) a meados de janeiro.

Rua Coberta

Rua Coberta no Natal Luz.

Já estivemos nesta festa em final de novembro, em início de dezembro, em pleno Natal e até em Réveillon. Recomendamos como a melhor opção o início de dezembro, pois os eventos já estão estabilizados e a frequência de turistas é mediana. Quem quiser ir na semana de Natal, prepare-se…

Grande Desfile - Nativitaten - Natal Luz

Grande Desfile – Nativitaten – Igreja S. Pedro.

Apesar de pouco recomendado por já ser final de festa, neste ano em particular resolvemos pegar os 4 últimos dias de Natal Luz (14 a 17 de janeiro), emendando depois com uma semana de “fazer nada”, para nós o melhor programa em Gramado ultimamente! É que ficamos sabendo que estava sendo comemorada sua 30ª edição, com alterações (melhorias) significativas nos diversos eventos da programação usual.

DSC00928 Nativitaten orquestra percussão e coro

Nativitaten.

Podemos testemunhar que o alerta de fim de festa foi desnecessário, pois estava ótima! Mas deixemos o Natal Luz para outro post.

A HOSPEDAGEM

Hotel Ritta Hoppner

Hotel Ritta Höppner.

Mesmo tendo ido a Gramado por 18 vezes, poucos foram os hotéis que conhecemos. Das primeiras vezes foi o imenso Serra Azul, com seu magnífico café da manhã (para nós o melhor do país) e excepcional localização, mas conta com um tratamento impessoal.

Conhecemos um dos vários Laghetto, hoje em dia, a maior rede hoteleira da cidade. Foi num de seus endereços mais tradicionais, de frente para o Lago Joaquina Ritta Bier. É bom para quem vai com o objetivo de passear pela cidade e ter a garantia de um bom local para repouso.

Em determinado ano conseguimos uma hospedagem de 15 dias seguidos no Casa da Montanha, um dos mais belos hotéis da cidade. Já constou do Roteiro de Hotéis de Charme, hoje parece que apenas seu acampamento nas montanhas é que faz parte. Foi bom, oferece um tratamento correto, contudo impessoal.

E afinal em maio de 2009 hospedamo-nos pela primeira vez no Hotel Ritta Höppner, depois de uns dias no Serra Azul. Paixão à primeira estada!

DSC01422 Chalés 2014

Ritta Höppner – Setor de Chalés.

Conjugado ao Minimundo, um dos tradicionais pontos de visita turística de Gramado, foi fundado em 1958 pela família Höppner e hoje em dia é dividido em duas grandes alas: o setor antigo, constituído apenas de chalés (14), e o novo prédio inaugurado em 2007 do lado oposto da rua, o Residenz Hotel (15 apartamentos).

Ritta Hoppner

Ritta Höppner – Residenz.

Em nossa primeira experiência fizemos opção pelo setor antigo e ficamos no chalé Zangado, excelente unidade com quarto, sala, banheiro e varanda. Como todos os chalés, é finamente decorado por dentro e por fora com motivos alemães e cercado por exuberante jardim.

Dez dos quatorze chalés possuem o diferencial fantástico que é uma espaçosa piscina interna aquecida, um “must” no inverno. Apenas 2 deles (Atchim e Dunga) são mais simples: quarto, banheiro e varanda compartilhada.

collage1

Fachada do Chalé Zangado – Piscina interna aquecida do Chalé João.

Eu e minha esposa, que já moramos em Munique por 7 meses em 1977, sentimo-nos imediatamente transportados mentalmente à Alemanha! Diria que foi essa a primeira razão de nossa paixão pelo hotel e seus chalés.

D. Jussara Höppner, uma das proprietárias, tem um cuidado especial com detalhes. Delicados mimos e bibelôs trazidos de suas viagens à Europa são encontrados em todos os cantos do complexo, seja no setor chalés, seja no Residenz.

collage9

Olhando apenas a parte externa, nossa atenção é fixada no padrão de arquitetura e paisagismo. Na ala de chalés temos uma piscina não-aquecida com um lindo bar e uma minivila para crianças, ambos infelizmente temporariamente fora de uso.

Isso porque depois da inauguração do Residenz, toda a estrutura de alimentação ficou nele concentrada e esse barzinho fica longe. Contudo, o atendimento por garçons na piscina é garantido e rápido.

Mini Vila Ritta Hoppner

Se a minivila não é usada, é porque foi construída uma casinha inteira só para crianças no jardim do Ritta Höppner Residenz do outro lado da rua, a Kinderhaus! Totalmente mobiliada em tamanho mini, é uma festa constante para os petizes.

kinder haus

Já que falamos de Residenz, essa nova ala inaugurada em 2007 consta de um único prédio com 15 unidades hoteleiras, um excelente restaurante com 2 salões e um moderno bar, uma charmosa varanda e um romântico gazebo.

Ritta Hoppner

Ritta Hoppner

Em termos de unidades hoteleiras, no Residenz há apartamentos comuns (tarifa similar à dos chalés mais simples), alguns com 2 quartos e copa-cozinha americana, próprios para famílias maiores (tarifa similar aos chalés com piscina) e 2 suítes provençais, dotadas de hidromassagem para 2 pessoas no banheiro e uma romântica bay-window com mesinha e uma linda vista.

Invista numa delas em ocasiões especiais!

collage4

Suíte Provençal.

Nós, em particular, preferimos a hospedagem nos chalés com piscina aquecida, mas temos de admitir que ficar no Residenz tem seus aspectos de conforto. Por exemplo, num dia frio e chuvoso não precisamos ir agasalhados e debaixo de guarda-chuva para tomar o café da manhã ou o lanche da tarde do outro lado da rua!

collage2

Restaurante Höppner.

Ah, o lanche da tarde! Servido hoje em dia no Restaurante Höppner das 16:30 às 18:00, é um dos diferenciais que o hotel Ritta Höppner oferece, podendo ser usufruído por pessoas de fora, neste caso pagando à parte. Para os hóspedes, está incluído nas diárias.

Fica difícil jantar depois de um lanche desses, mas a gente faz uma força e se adapta aos horários!

collage4

A PREMIAÇÃO

O Ritta Höppner acaba de receber do Trip Advisor o prêmio de melhor hotel de pequeno porte do Brasil e da América do Sul em 2015, situando-se também entre os 25 melhores hotéis do mundo inteiro na categoria! Que responsabilidade!

Ritta Hoppner

Por que será?

De fato ele é bonito e primorosamente decorado, mas admitamos que só isso não garante premiação a um hotel. Diríamos, sendo bem críticos, que há hotéis tão ou mais belos que o Ritta Höppner, de repente até mesmo em Gramado.

O Modevie é um novíssimo e caro hotel butique, o Casa da Montanha também é imponente por fora e belo por dentro. O complexo do Hotel Serrano é fantástico, imenso.

Contudo onde o Ritta Höppner se destaca é no seu impecável atendimento! Administrado diretamente pela família Höppner, seus proprietários conseguiram formar e manter um quadro de pessoal de primeira linha.

Desde as camareiras, passando pelo pessoal de portaria e garçons, tratador de piscinas, todos fazem questão de nos paparicar nos mínimos detalhes. Você não se sente hospedado, se sente acolhido numa grande família!

collage13

Dentre as diversas manifestações de apreço, a que guardamos com o maior carinho foi quando da tragédia que se abateu sobre Nova Friburgo e arredores em 12/01/2011. Havíamos estado no Ritta Höppner, àquela altura, por apenas 3 vezes. Na nossa ficha cadastral constava como residência principal nosso endereço de Nova Friburgo, onde àquela época morávamos depois de minha aposentadoria.

Poucos dias depois do temporal, recebemos uma ligação do hotel especificamente para perguntar se estávamos bem, pois as notícias sobre a magnitude da tragédia haviam chegado em Gramado e queriam ter notícias nossas. Ficamos impressionados, jamais esqueceremos.

Em março de 2015, mês de nosso 38º aniversário de casamento, estávamos também no Ritta Höppner. Sem querer, no dia, deixamos escapar o motivo de nossa estada. Pronto! Aproveitaram uma saída nossa à tarde e se empenharam em fazer uma arrumação festiva especial em nosso chalé, o João. Puseram flores, espumante, música ambiente num rádio especialmente preparado com uma canção comemorativa, um charme! A cama tinha as toalhas montadas como coração e havia um mimo para nós, presente da administração.

A chefe das camareiras, Madalena, num momento de descontração depois de nossos efusivos agradecimentos, contou-nos todo o intenso e corrido ritual que realizaram para deixar tudo pronto antes que chegássemos da rua! Foi uma operação especial, envolvendo diversas pessoas! É muito gratificante ser atendido dessa maneira.

AMPLIANDO O COMPLEXO HÖPPNER

O casal proprietário, Heino e Jussara Höppner, está longe de permanecer deitado sobre louros e homenagens. O Minimundo, parte integrante do complexo familiar, não cessa de crescer.

DSC01004 Complexo Ritta Höppner

Complexo Ritta Höppner – Minimundo.

A cada ano, em cada visita, descobrimos novas miniaturas, todas desconcertantes pelo detalhamento, muitas com movimento. Algumas impressionam também pelo tamanho, como a do navio Cap. San Diego e a do Museu Paulista com seus extensos jardins!

mini mundo 2

Museu Paulista, Castelo de Neuschwanstein e lojinha do Minimundo.

No terreno contíguo ao do Hotel Ritta Höppner Residenz, no espaço que o separa da rua traseira, estão em construção um espaçoso Centro de Eventos e uma capela, a Igreja dos Anjos, sem orientação religiosa definida.

Ritta Hoppner

Igreja dos Anjos.

A Igreja, de uma singela beleza, já está praticamente pronta, e o Centro de Eventos deve ser inaugurado até o fim do ano. D. Jussara nos contou que era um sonho antigo dela, e que a obra foi viabilizada pelo fato do Hotel estar, gradativamente, sendo mais e mais solicitado para eventos, em particular casamentos, que acabam de uma maneira ou outra prejudicando o atendimento aos hóspedes, que são a prioridade.

Ritta Hoppner

Quem sabe a utilizaremos num futuro aniversário de casamento?

* Todas as fotos pertencem ao acervo pessoal do autor do post.


Você vai gostar também de:

postado com por

26 comentários

veja também esses posts relacionados:

Comente com o Facebook

Deixe seu comentário

26 Comentários

  • Grace
    10 abr 2017

    Parabens pela postagem.
    Lindo cheio de sentimento…ideal para quem sonha em conhecer gramado e está planejando uma viagem com a familia.
    Hotel ja decidido rs*

    • Flávia March
      17 abr 2017

      Seu comentário me emocionou…
      Meu pai escreveu esse guest post há um tempo atrás, e faz poucos dias que ele não está mais entre nós…
      Esse hotel é muito especial mesmo. E Gramado é tudo de bom! Espero que a viagem seja maravilhosa!
      Grande abraço!
      Flávia

      • Michele
        30 abr 2017

        Poxa
        Estava aqui pensando sobre este post é imaginando a pessoa que o escreveu- pensei” deve ser alguém muito especial.” Fiquei triste em saber que não está mais entre nós, mas só de ler este post já deu p saber o quanto ele aproveitou a vida e deixou saudades em sua família. Se eu estava na dúvida sobre o hotel em que iria, este post tirou qualquer uma. Ritta com certeza
        Sinto muita falta do meu pai e lendo este post me lembrei dele.
        Obrigada pelo lindo post !!

        • Flávia March
          06 maio 2017

          Sem palavras pela sua linda mensagem.
          Obrigada…

  • carlos frederico march
    08 dez 2016

    Atualização
    Já foi inaugurado o espaço de eventos, um lugar maravilhoso a me guiar pelas fotos publicadas pelo Hotel. Junto da Igreja dos Anjos, também parte do complexo, abre opções mil para uso do hotel.
    Recentemente, os eventos eram realizados numa das áreas do Restaurante Höppner. Além da limitação de espaço, a realidade é que esse uso por público externo trazia alguma limitação para os hóspedes, mas agora resolveram de vez a questão.
    Maravilha!

    • Flávia March
      08 dez 2016

      Ficou lindo demais o espaço! Como tudo no Ritta, de extremo bom gosto!
      Em breve conheceremos pessoalmente!
      😘

  • Eveline Ferreira
    16 mar 2016

    Ahhh… Gramado é um caso de amor né ??
    Sou completamente cativada por este lugar lindo !! Adorei o relato do seu pai Flavinha, apaixonante!!!!
    Da última vez que fomos, a Isabella pedia a cada momento para ir morar lá!! como eu queria poder realizar este desejo dela!!!! e passou meses cantando a musica da parada de Natal !!!
    Enfim… Gramado e Canela estão no meu coração !!! Amo demais !!!
    Bjs Flavinha !

    • Flávia March
      20 mar 2016

      Gramado é maravilhoso! Um carinho na alma.
      Muito fofa a Isabella pedindo para morar lá. Eu também adoraria, volta e meia vejo preços de casas e apartamentos.
      Da última vez que fui, quase entrei numa imobiliária hahaha.
      Que bom que você curtiu o relato do meu pai, fico feliz. E ele também rs.
      Volte sempre aqui no blog, amei ler seu comentário!!

      Bjos, Evelin! Saudades.

  • carlos frederico march
    11 mar 2016

    Bruno, obrigado pelos elogios, que compartilho com Flávia porque foi quem me estimulou a fazer o post e fez a seleção e edição das fotos, que contribuíram e muito para a apresentação final.
    É um relato denso por ser verdadeiro, já que tive oportunidade de me hospedar em outros hotéis da cidade, além de conhecer outros tantos através de experiências de amigos e parentes que visitaram a cidade.
    Gramado, de per si, já vale a visita, fazendo-a hospedado no Ritta Höppner se transforma numa experiência quase mágica.
    Abraços
    Carlos

  • Bruno Luiz
    10 mar 2016

    Flávia,

    Que post é esse! Cheio de sentimento, história e informação. Eu acho que dificilmente a própria dona do hotel conseguiria escrever algo parecido. Tão gostoso de ler e sentir a emoção do seu pai.

    O hotel é realmente maravilhoso e tive a oportunidade de conhecer o tratamento especialíssimo no restaurante que fui jantar por indicação sua. Pelo que eu li, percebe-se que o foco na parte financeira não existe mais e o que objetivo da proprietária e ter algo para se orgulhar, um legado.

    As fotos estão fenomenais e as explicações das diversas épocas para ir a Gramado, bem como o detalhamento de cada tipo de chalé e quarto, dão um “quê” especial ao relato.

    Definitivamente irei me hospedar no Hoppner na minha terceira, e próxima, viagem a Gramado. Só há um problema, não vai dar pra fazer post do hotel, pois este está simplesmente perfeito.

    Parabéns ao Sr. Carlos e obrigado por compartilhar isso para o mundo.

    Beijos.
    Bruno.

    • Flávia March
      11 mar 2016

      Bruno,

      Você sabe que eu sou super suspeita para falar… Eu amo Gramado e desde que me hospedei no Ritta não consegui mais ficar em outro hotel.
      Acho que o chá da tarde “me compra” um pouco, porque eu amo o restaurante Höppner onde ele é servido, e só de sentar ali eu já sinto um prazer imenso.
      Certamente o atendimento desse hotel é muito especial. Eu que sou uma pessoa que valoriza tanto hospedagem posso te dizer que é o melhor atendimento que eu já tive.
      Como meu pai falou, existem muitos hotéis lindos em Gramado, quem sabe até vou experimentá-los ao longo desses anos, mas até agora não consegui mudar rs.

      Obrigada pelo comentário.
      Beijos.

  • Thaís Thomazini
    10 mar 2016

    Olá, olha eu aqui de novo!
    Estava ansiosa por esse post e foi mais do que esperava, muito bom!
    Parabéns Carlos, você conseguiu colocar em palavras grande parte do que penso à respeito de Gramado e porque essa fixação que temos por esse lugar tão incrível! Eu amo aquele lugar, já fui 2x e pretendo ir as 18 como vc! Rs (Fiquei impressionada!).
    O Natal luz realmente é encantador, não tem quem não goste, é delicado… e a decoração é sensacional!
    Os hotéis que você citou são incríveis, cada um mais lindo que o outro, dá pra ficar muito em dúvida… massss como você e a Flávia falam tanto do Rita, preciso fazer uma visita nem que seja pra tomar o café da tarde ou até mesmo ter o prazer de me hospedar. PRECISO daquela Suíte Provençal, é a minha cara!! Rs
    Bom, não vou mais me alongar, mas depois gostaria de um post sobre os passeios, restaurantes e o Natal Luz, se possível! Hehe x)

    Bjs e obrigada pelo post feito com tanto carinho.

    • carlos frederico march
      10 mar 2016

      Obrigado pelos elogios, que reparto com Flavinha.
      Quanto a um post sobre as delícias da cidade em suas diversas épocas e festas, não sei se cabe no escopo do blog, que é focado em experiências hoteleiras. Mas se Flavinha autorizar… rs rs rs
      Abraços

    • Flávia March
      10 mar 2016

      Opaaa, podemos conversar! 🙂

      Estou quase criando uma categoria só de experiências gastronômicas em viagens rsrs.

      Thaís, eu lembrei muito de você com a suíte provençal. Realmente é a sua cara!
      E a piscina aquecida do chalé… hummm… Acho que você terá que ir várias vezes mesmo!

      Beijos, querida!

  • Euclides Pajuaba
    10 mar 2016

    Texto muito bem escrito, como de hábito, acompanhado de belas fotos. Um dia irei lá.

    • carlos frederico march
      10 mar 2016

      Se for, não vai se arrepender.
      Independente do hotel ou pousada que escolher, garanto que a experiência como um todo será extraordinária. É um pedaço do Brasil que deu certo.
      Lembranças!

  • Robson Sobrinho
    10 mar 2016

    Sr. Carlos e Flávia,

    Que post encantador!

    Estive em Gramado por duas vezes e, apesar de não conhecê-la com tanta propriedade, alimento o mesmo carinho por suas características que a tornam uma cidade mágica. O mais legal, é que essa magia não fica restrita aos moradores, restaurantes, hotéis e serviços… percebo que ela se instala dentro de nós, capaz de resistir ao longo dos anos.

    Hoje, fui reabastecido com minha pitada de magia através de seu post. Obrigado por me fazer viajar e, principalmente, reafirmar (pra mim mesmo em voz alta) que vale muuuuuuuito na vida ser apaixonado por hotéis 🙂

    Vocês são d+! Parabéns!

    • carlos frederico march
      10 mar 2016

      Obrigado pelos elogios, que reparto com Flavinha, que atuou na seleção e edição das fotos, além do estímulo que me deu para escrever o texto.
      Abraços

    • Flávia March
      10 mar 2016

      Robson, duplamente feliz que você curtiu tanto o post!

      É muito gratificante, e você sabe pois também possui blog. Lendo esse post do meu pai também tive a mesma sensação que você, essa magia de Gramado que fica na gente.

      Obrigada, pai, pelo post!

      “Vale muuuuuuuito na vida ser apaixonado por hotéis.” 😀 😀 😀

      beijos

  • brenda
    10 mar 2016

    Uau…seu pai arrasou! Deu uma saudade de Gramado e uma enorme vontade de ficar nesse hotel. Parabéns pelo texto, Fred!

    • carlos frederico march
      10 mar 2016

      Obrigado, Brenda.
      Quem sabe um dia a gente vai, todos juntos, para curtir não só o hotel como também as delícias da cidade e arredores.

    • Flávia March
      10 mar 2016

      Gramadinho é muito amor, né?!
      💖

  • Felipe
    10 mar 2016

    Como sempre, seu pai fazendo eu querer me teletransportar pra Gramado.
    Ótimo post! E esse esquema de Guest Post é sensacional!
    Parabéns, Fred!!!
    😀😀😀👍👍👍

    • carlos frederico march
      10 mar 2016

      Obrigado, Felipe.
      Espero que faça o teletransporte em breve!
      Abraço

    • Flávia March
      10 mar 2016

      Faremos o teletransporte! rsrs

      🙂