14nov17 Gastronomia São Paulo

Da onça ao porco, seguindo dicas gastronômicas em Sampa

♥ GUEST POST ♥

Casa do Porco.

Sempre que vou a SP, dou uma pesquisada em bares/restaurantes, pois na minha opinião há muito mais opções qualificadas do que no RJ e em Niterói onde moro. Dessa vez, pedi dicas à minha querida prima, autora deste blog, e ao meu primo que reside em Sampa.

No primeiro dia, o pessoal que estava comigo a trabalho queria comer pizza e sugeri uma das três pizzarias que meu primo indicou: a Margherita Pizzeria, nos Jardins. Era uma segunda-feira e a casa, bem grande, estava praticamente lotada! É uma cantina. Fomos no pedido que mais sai segundo o garçom, com massa tradicional, mais grossa. Leva muçarela, molho, calabresa artesanal e manjericão. Bem boa!

No segundo dia, fui com meu primo ao Tubaína Bar, na Cerqueira César, indicado por ele. É um bar com pegada sustentável, decoração antiga e refrigerantes artesanais. Mas tem álcool. Fomos de chope local, coxinhas de feijão recheadas com linguiça toscana e bacon (bolinho de feijoada em outro formato) e finalizamos com sanduíche de pernil marinado em não sei quantas horas. Estava excelente! Rola show também, com couvert. Nesse dia, a atração foi Roberto Seresteiro, tocando “samba-canção, valsa, seresta, modinha, chorinho e samba-de-breque” (copiei do Face deles…rs). Música agradável para os ouvidos.

Terceira e última noite. Finalmente espaço para as sugestões da minha prima. Sabia que seria muito difícil ir ao italiano Nino Cucina sem reservar com antecedência. Mas sou brasileiro…hehe Não deu. 🙁 Liguei e entrou uma mensagem informando que reservas por telefone eram feitas até as 20h. Pela internet, estava tudo reservado para os próximos dez dias. Como não quis bater de cara na porta, liguei para o Bar da Dona Onça, no Centro, um lugar que ela havia se interessado mas não experimentado. Havia mesas e partimos. Vou começar pela parte boa, porque o serviço deixou a desejar. Explico em seguida.

Bar da Dona Onça

Bar da Dona Onça.

Há caipis diferentes, com vodka ou cachaças da boa. São servidas em copos generosos. Fui de Festa da Uva (uva Crimson, uva Thompson e hortelã) e Onça Pintada (tangerina com maracujá). O croquete de carne de panela, de entrada, estava um espetáculo, assim como a coxinha de galinha caipira. Saem meias porções dos petiscos, descobrimos depois. Para jantar, os pedidos foram ravióli de burrata com tomate italiano e manjericão e raviolini de lagostim com camarões, molho bisque e favas frescas. Água na boca.

Agora, os “poréns”. Os drinques demoram a sair. A coxinha veio depois dos pratos, isso porque reclamamos. E houve um incidente muito chato. A pina colada deles é servida em caneca de cerâmica. Acontece que a alça da caneca quebrou e fez uma lambança em toda mesa e no chão, que eles demoraram bastante para mandar alguém limpar. Ficamos apreciando a cagada. E ainda levaram um tempão para repor a bebida. Sorte que relevamos tudo com a qualidade da comida. A propósito, tem para todos os gostos: carnes, massas, peixes, arrozes etc.

Casa do Porco Bar

Casa do Porco.

De lá, decidimos dar um pulo em A Casa do Porco Bar, que eu já queria ter ido da outra vez. É do marido da Dona Onça, sério. Fica a dois minutinhos a pé. Conheci quando ele foi no programa da Ana Maria Braga apresentar cortes de porco e diferentes forma de servi-lo. Já era quase meia-noite e falaram na Onça que não iríamos entrar. Mas somos brasileiros e, dessa vez, rolou. De fato, a casa é muito disputada. Abre para almoço meio-dia e, para conseguir entrar na primeira leva, é preciso chegar às 10h30.

Já estávamos lotados de comida, mas precisávamos experimentar algo e aceitamos a sugestão de torresmo de pancetta com molho de goiabada, um clássico. Delícia. Para beber, pedimos um litro da cerveja Coruja Extra Viva, que eu já conhecia. Para quem gosta de porco, o cardápio é daqueles que dá vontade de comer tudo. Até tartar e sushi de porco o cara faz. Fechamos o bar. Quero voltar nele e provar o restante.

Já estou com saudades da gastronomia paulista.

* Todas as fotos pertencem ao acervo pessoal de Rodrigo March.

Veja também outros posts do Rodrigo aqui no blog:

 

postado com por

3 comentários

veja também esses posts relacionados:

Comente com o Facebook

Deixe seu comentário

3 Comentários

  • Felipe
    19 nov 2017

    Muito bom o post!!!
    Parabéns, Rodrigo!!
    👏👏👏👏
    Gastronomia é sempre um papo interessante, haha.

    Saudade de Sampa… Rs

  • Mary March
    14 nov 2017

    Tudo bem explicadinho! Acho que isso é de família! Rs. Adoro Sampa! Fiquei interessada de conhecer o bar da Dona Onça. Salivei com as caipis! Bjos

    • Flávia March
      18 nov 2017

      Vamos juntas na próxima ida a SP!!
      😍😊😊😊