Bariloche – Circuito Chico e Cerros

Quando comecei a pesquisar sobre os melhores passeios em Bariloche, li em vários blogs que o tour ideal de introdução à cidade era o famoso Circuito Chico.

O Circuito Chico “oficial”, digamos assim, é um passeio pela costa do lago Nahuel Huapi, com duração de mais ou menos 4 horas (quando feito por agências de city tour), que começa com uma visita ao Cerro Campanário – o meu cerro preferido.

Faz paradas estratégicas por mirantes e também uma lojinha de produtos à base de rosa mosqueta (a maioria reclama um pouco dessa parada), seguindo até a península de San Pedro e Parque Nacional Llao Llao, onde geralmente são feitas aquelas fotos com cachorr”inhos” da raça São Bernardo (particularmente tenho ressalvas quanto a essas fotos).

Como a principal vantagem de viajar por conta própria é fazer os roteiros do seu jeito e no seu próprio tempo, resolvi pegar esse tour oficial como base e fazer o “meu” circuito chico, já que sou enjoada decidida, e visitar lugares com tempo contado ou que talvez não me interessem tanto gera crise de anisedade em mim. É sério! Hehe. 

  • Não estou aqui dizendo que eu não faria os passeios guiados, apenas escolhi fazer dessa forma porque tive essa opção. 
  • Eu marquei o ponto C no mapa porque senão o gps manda fazer o retorno para chegar até o Llao Llao de forma mais rápida, e a intenção é fazer a rota do circuito. 😉

O que eu acho essencial é fazer o circuito com tempo bom. Não tem a menor graça fazer esse passeio com chuva, falo isso pelo Cerro Campanário e pela vista do Llao Llao.

Tá bom, Flávia, a menor graça é pegar trânsito todo dia para ir trabalhar, comer verdura a semana toda e não perder nem meio kg, seu despertador tocar e você querer jogá-lo pela janela… Estar de férias em Bariloche sempre tem sua graça.

Mas o que eu quero dizer é para você tentar fazer o circuito com tempo bom, a não ser que chova todos os dias em que você estiver na cidade. Aí senta e chora faz o circuito na chuva mesmo, o famoso “não tem tu, vai tu mesmo”. Estamos em Bariloche, lembra? 😛

Dito isso, no primeiro dia de sol, fomos logo conhecer o primeiro ponto do circuito: Cerro Campanário.

Melhores Passeios em Bariloche

Cerro Campanário

melhores passeios em Bariloche

O Cerro Campanário é certamente o cerro mais bonito de Bariloche. Se eu tivesse que optar por apenas um, ele seria sem sombra de dúvidas o meu escolhido (a não ser que minha intenção fosse esquiar, aí eu teria que ir ao Cerro Catedral, logicamente).

Chegamos ao Campanário por volta do horário de almoço diretamente do nosso primeiro hotel, o Nido del Condor. Foi bem tranquilo achar a entrada pelo gps, que é onde fica a aerosilla para subir até os mirantes. Pagamos 200 pesos cada um para subir.

  • Hotel Nido del Condor → Cerro Campanário (10,4 km/ +- 13 min de carro)
  • Centro Cívico → Cerro Campanário (17,2 km/ +- 25 min de carro)

Vale dizer que esse teleférico é aberto e, no inverno, o frio é bem intenso na subida. Então sugiro que você vá muito bem agasalhado, porque uma vez na cadeirinha, não há como voltar atrás.

Estávamos igual àquele bonecão do posto mas, sinceramente, mesmo com todo frio eu prefiro andar nesse tipo de teleférico. Tive uma sensação meio claustrofóbica nos Cerros Otto e Catedral, onde as cabines são fechadas.

O caminho da nossa subida ao Cerro Campanário estava recheado de pinheiros com neve salpicada na ponta. Parecia as árvores de Natal que a gente compra na Americanas, só que de verdade! Uma imagem tão linda, imagina passar o Natal num lugar assim. ♥

Chegamos lá em cima felizes e aliviados, depois da sensação de quase morte do Felipe rs, e eu ainda extasiada com aquela paisagem toda invernal. 

melhores passeios em Bariloche

melhores passeios em Barilochemelhores passeios em Bariloche

Eu me pergunto se fiz algo ruim em outra vida pra ter nascido num lugar que faz mais de 40 graus em pelo menos 9 meses do ano…. Pensa só, dá pra parir nesse tempo! Queria sentir a cabeça doendo do gelo mais vezes, secar minha meia no ar quente do carro e sentir que o nariz vai cair de vez em quando. 😛

Vou parar de enrolar e dizer que no topo do Cerro Campanário tem uma cafeteria bem quentinha, para você se abrigar do frio e tomar um chocolate quente apreciando a vista.

Aliás, tem cada torta doce no balcão… Uma mais bonita do que a outra! Mas se estiver de dieta, você pode substituir a torta… por uma empanada haha. Bela Gil ficaria orgulhosa de mim. #sqn

Nós vimos um gatinho na cafeteria que era coisa mais fofa. Quem diz que gatos não interagem não sabem o que estão dizendo. Estava todo mundo pegando o gatinho no colo e e ouso dizer que ele quase foi sequestrado! 

Coisinha fofa.

O Cerro Campanário é para ser apreciado com calma. São vários mirantes e você vai querer tomar um café, tirar muitas fotos e só sair de lá quando estiver totalmente satisfeito.

Como comentei anteriormente, eu fiz o circuito chico do meu jeito e não o completei no mesmo dia. Mas aqui vou continuar na sequência para você ter uma ideia melhor do trajeto.

Próxima parada: Punto Panoramico.

  • Cerro Campanário → Punto Panoramico (5,6 km/ +- 8 min de carro)

Punto Panoramico

melhores passeios em Bariloche

O Punto Panoramico também é um mirante bem legal e fomos com a intenção de almoçar na lanchonete que tem lá. Eu não fazia muita ideia do cardápio, mas tinha lido que o hamburguer artesanal era bom.

Realmente achei bom, mas gostei mesmo foi da batata que veio como acompanhamento. Adoro batatinha estilo caseira que não parece congelada, sabe? 😀

Estava chuviscando um pouco quando chegamos, mas a lanchonete tem uma parte toda fechada. No inverno, provavelmente ninguém consegue mesmo sentar nas cadeiras do lado de fora, é sair do carro e entrar na parte coberta.

Depois de comer, nós subimos na outra parte do mirante que fica acima da lanchonete para um chocolate quente. Em termos de vista, preferi a parte de baixo, mas tomar um chocolate ali teve seu valor. 🙂

circuito chico

Para mim, o ponto forte dessa parada foi a própria lanchonete com vista, e não a vista em si.

Seguimos a estrada em direção ao Hotel Llao Llao. Era um lugar que eu queria muito voltar, pois tinha uma memória afetiva dele. 

  • Punto Panoramico → Llao Llao (14,7 km/ +- 25 min de carro) 

São poucas as lembranças que eu tenho da viagem que fiz a Bariloche com meus pais aos 13 anos de idade. Uma delas, a foto que tiramos eu, minha mãe, meu pai e minha irmã na fachada desse hotel.

Achei muito curioso como o cérebro da gente grava algumas coisas. Estávamos na estrada quando passamos por um lugar que de certa forma me emocionou. Continuamos o caminho e foi quando me dei conta de que havia acabado de passar pela entrada do Llao Llao.

Se me perguntar se eu lembrei conscientemente que ali era o Llao Llao, vou te dizer que não. Mas o meu inconsciente sabia. 

Minha visita ao Llao Llao não aconteceu nesse dia. Despois que passamos da entrada do complexo, resolvemos voltar depois. Eu queria que fosse especial. O tempo não estava muito favorável e, como disse anteriormente, é um lugar para se apreciar com tempo bom.

Llao Llao

Pegamos muita chuva nos 3 dias seguintes e só fui conseguir visitar o Llao Llao no último dia de viagem. Pude presenciar uma das paisagens mais lindas que eu já tive o prazer de vislumbrar. Ver montanha com neve é algo tão bonito que não tem muito o que falar. Apenas ver e sentir.

Minha ideia inicial era tomar o chá da tarde do hotel, mas acabamos almoçando no restaurante de lá.

Pedi uma hamburguesa de cordeiro que custava em torno de 350 pesos e o pão veio um pouco tostado, então não sei se vale o custo x benefício. Mas… passou um prato de frutos do mar do meu lado que estava muito bonito! Pra quem gosta, não custa experimentar (quer dizer, custa rs). 

Restaurante do Hotel Llao Llao. A vista parece um quadro.

Se eu tivesse que optar entre o chá da tarde e o restaurante, iria no chá! 😉

Como fomos por conta própria, algumas vezes nos perguntaram se éramos hóspedes do hotel. Eu senti que há uma certa preocupação em organizar o movimento dos turistas e diferenciar os hóspedes. Isso me incomodou um pouco, mas ok, é compreensível…

Corredor cheiroso do Llao Llao

O salão de chá é muito lindo, queria ter experimentado. A vista é espetacular, como toda área externa do hotel. Se você já se hospedou no Llao Llao ou provou o chá da tarde, conte aqui nos comentários como foi a sua experiência. 😉

O Llao Llao foi nossa última parada do circuito. Fica a seu critério conhecer os lugares individualmente, ou fechar para fazer o tour com alguma empresa (e incluir os lugares que eu não visitei).

E como Bariloche tem muita vista linda (inclusive a dos hotéis onde me hospedei, que vou contar num próximo post), vamos continuar com os outros cerros: Otto e Catedral.

Cerro Otto

O Cerro Otto é outro cerro muito visitado pelos turistas em Bariloche. No inverno, a única maneira de se chegar até o topo é através do teleférico (muito cuidado para não colocar como destino no gps a estrada que dá acesso ao topo, porque não há como subi-la no inverno, e mesmo no verão só deve dar pra subir de 4×4).

Como é legal ter uma ideia de distância e tempo para se chegar, vou sempre colocar o centro como referência e o meu hotel, caso você se hospede em algum hotel na beira do lago (os melhores na minha opinião).

  • Centro Cívico → Teleférico Cerro Otto (5,7 km/ +- 15 min de carro)
  • Hotel Nido del Condor → Teleférico Cerro Otto (2,4 km/ +- 5 min de carro)

O teleférico do Cerro Otto possui a cabine fechada, diferentemente do Cerro Campanário. No dia em que fomos, estava chovendo na cidade e nevando muito no cerro, por isso eu não consegui nem ter ideia de como é a vista da cidade lá de cima.

melhores passeios em Bariloche
No topo do Cerro Otto.

Assim que você chega ao topo, percorre uma estrutura toda coberta que dá numa Confeitaria Giratória (o ponto forte dessa estrutura), nuns quiosques vendendo souveniers e há até uma espécie de boate. 

Eu tive que fazer realmente um esforço para ficar sentada com a confeitaria girando (senti enjoo), mas depois de um tempo meu organismo se acostumou. Foi legal comer pão de miga e curtir a neve caindo, ao som de Daughters do John Mayer.

Até hoje ouço essa música e fico lembrando dos momentos nesse cerro. Na verdade, eu baixei a música no meu Deezer lá mesmo pra ficar ouvindo depois, nos meus momentos de hidro nos hotéis. Sou nostálgica nesse nível rs.

melhores passeios em Bariloche
Confeitaria Giratória vista pelo lado de fora.

Ventava tanto e fazia tanto frio na parte externa que tirar a luva para filmar ou fotografar foi uma dificuldade. Quase voltei com dedos a menos rs, mas estávamos tão felizes com a neve caindo que não tinha como não se divertir!

Lembra da minha irmã gêmea? Então, ela tirou aquela foto nesse cerro. Se você não lembra, não deve ter lido meu primeiro post sobre a cidade. Vou te ajudar:

Bariloche – A primeira vez que eu vi a neve.

A neve de fato é encantadora. Mas a forma de neve mais linda que eu já vi foi a que caiu no Cerro Catedral.

Cerro Catedral

melhores passeios em Bariloche

Nossa ida ao Cerro Catedral foi feita no último dia viagem. Já estávamos hospedados no nosso segundo hotel, o Charming Luxury Lodge.

  • Centro Cívico – Cerro Catedral (+- 17 km/ 30 min de carro)
  • Charming Luxury Lodge – Cerro Catedral (+- 9 km/ 15 min de carro) 

Eu queria muito conhecer esse cerro porque tinha certeza que seria a melhor oportunidade para brincar na neve. E de fato foi!

Assim que a gente chega ao Cerro Catedral, percorre uma parte com muitas lojinhas e onde você pode comprar seu ticket. O nosso nos dava direito a fazer duas subidas: a primeira, em cabines fechadas, e a segunda, naquelas cadeirinhas abertas.

Confesso que essa parte eu achei que fosse ser mais bonita. Às vezes, a gente idealiza muito uma coisa e a realidade é um pouco diferente. Foi difícil caminhar porque quando a neve vai derretendo ela fica toda escorregadia, meio suja.

Entramos na primeira aerosilla (fechada) e durante a subida passamos por caminhos meio cavernosos – e lindos. O cheiro de frio dava pra sentir mesmo dentro da cabine, e não fossem os arranhões do vidro que dificultaram um pouco a visão, as imagens teriam sido ainda mais bonitas.

Lá em cima, aquela imensidão de neve fofa perfeita para se jogar! Engraçado que eu senti menos frio no topo do que em alguns lugares pela cidade. Havia muita gente tentando fazer skibunda, crianças e adultos rolando na neve, uma festa! 

Olha só essa criança brincando na neve:

Também havia um café que achei bem legal e estava bastante cheio. Foi bom pra descansar um pouco do frio também. Frio cansa, viu? Resolvemos não encarar a segunda aerosilla e ficar por ali mesmo. 

Ficamos nos divertindo durante bastante tempo, até que resolvemos descer. A viagem chegava ao fim. Foi quando vimos cair os floquinhos mais lindos da vida! 

Sabe aquelas representações gráficas que a gente vê dos flocos de neve? Então, é real! A coisa mais linda desse mundo.

Num primeiro momento, a gente achou que não era possível aquilo, que devia ter uma máquina fazendo aqueles floquinhos rs. Mas não… eles eram de verdade…

A “florzinha” de cima também é floquinho!

A natureza é realmente muito perfeita. E é uma benção poder ver e viver tudo isso.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*